DENSIDADE DE PLANTAS E ADUBAÇÃO NITROGENADA EM COBERTURA NO DESENVOLVIMENTO E DESEMPENHO PRODUTIVO DO MILHO

CLAUDEMIR ZUCARELI, DENIS PIAZZOLI, MORYB JORGE LIMA DA COSTA SAPUCAY, ANDRÉ MATEUS PRANDO, JOÃO ALBERTO DE OLIVEIRA JÚNIOR

Resumo


Alterações no arranjo de plantas na cultura do milho permitem maiores populações e exigem adequações nas doses de nitrogênio fornecidas. Objetivou-se avaliar o efeito de doses de nitrogênio em cobertura no desenvolvimento e desempenho produtivo do milho de segunda safra em diferentes densidades de plantas. O experimento foi conduzido em duas safras com o híbrido AG9010 YG, em blocos casualizados e parcelas subdivididas, com quatro repetições. Nas parcelas, alocaram-se as populações de plantas (40, 60, 80 e 100 mil plantas ha-1) em espaçamento de 0,45 m entre linhas e, nas subparcelas, as doses de nitrogênio (ureia 45%) em cobertura (0, 50, 100, 150 kg ha-1). Foram avaliados o diâmetro de colmo, a altura de inserção de espiga e de plantas, a massa da folha seca, o teor de nitrogênio na folha e nos grãos e a produtividade de grãos. A produtividade de grãos é influenciada pela interação entre população de plantas e doses de N em cobertura. A população de 80.000 plantas ha-1 aliada à aplicação de 120 kg ha-1 de nitrogênio cobertura proporciona maior rendimento.


Palavras-chave


Zea mays; população de plantas; arranjo de plantas; nitrogênio; safrinha.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v18n2p178-191