CONTROLE QUÍMICO DA ANTRACNOSE (Colletotrichum graminicola) DO SORGO

NICÉSIO FILADELFO JANSSEN DE ALMEIDA PINTO

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência de fungicidas no controle da antracnose foliar do sorgo e seus reflexos na qualidade sanitária e peso de sementes. Os seguintes fungicidas (g i. a. ha-1) foram aplicados na variedade de sorgo BR 009B: tebuconazole (200), benomyl (500), mancozeb (2400), triforine (285), fenarimol (120), prochloraz (450), imibenconazole (150), azoxystrobin (150), chlorothalonil (1125), captan (750) e carbendazim (350). Parcelas sem tratamento com fungicida constituíram a testemunha. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso, com 12 tratamentos em três repetições. Cada parcela foi constituída por quatro fileiras de 7 m de comprimento e distava 2 m das demais. As aplicações dos fungicidas, utilizando-se pulverizador costal manual, foram em número de três e realizadas em intervalos de dez dias, iniciando-se quando as plantas apresentavam incidência moderada da antracnose foliar. As avaliações da severidade da antracnose foram realizadas aos zero, 20 e 45 dias após a primeira aplicação, por meio de escala de notas de 0 a 5 (0= ausência de lesões foliares e 5= lesões em 100% das folhas, com seca das plantas). As sementes foram submetidas à análise de sanidade pelo método do papel de filtro com congelamento e, para a quantificação da produção, os pesos das sementes foram ajustados para 13% de umidade. Os resultados obtidos mostraram que os fungicidas prochloraz, carbendazim, benomyl e azoxystrobin foram os mais eficientes no controle da antracnose foliar, tendo-se como parâmetro o progresso da doença entre as avaliações inicial e a realizada aos 45 dias após o início das pulverizações. Os resultados também evidenciaram que a menor incidência de C. graminicola nas sementes ocorreu nos tratamentos com carbendazim, azoxystrobin e prochloraz; e que os maiores pesos de sementes foram obtidos com os tratamentos prochloraz, carbendazim, benomyl e azoxystrobin.


Palavras-chave


Sorghum bicolor, fungicidas, sanidade de sementes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n03p%25p