SEROLOGIES USE IN THE IDENTIFICATION OF INSECTS PREDATORS PREY

ANA CAROLINA MACIEL REDOAN, CARLOS ROBERTO SOUSA SILVA, IVAN CRUZ

Resumo


ABSTRACT - This study aimed to produce antiserum for the main pests found in maize, Spodoptera frugiperda, Helicoverpa zea and armigera, Rhopalosiphum maidis, and uses it to determine their predators. Pest samples were macerated in 0.85% saline solution. The macerated were centrifuged and the supernatants were used as immunizing antigens to obtain the antiserum. For this purpose, a rabbit was immunized with 3.0 ml of the immunizing antigen on the lymph node region. Homologous serological tests were performed by double diffusion in agar. The homologous serological reactions were positive after seven days of antigen inoculation. The technique has sensitivity to detect predation of the pests studied. The tests were positive for a prey in the digestive tract of the predator to 96 hours of ingestion. Regarding the number of prey ingested there was no difference in the lines. It is concluded that after a single injection of antigen in rabbit lymph node region, it was possible to get an antiserum specific for pests of corn. Field tests showed that there was a certain food preference of Doru luteipes by S. frugiperda, Chrysoperla externa by aphid.

Key words: zea mays, antigens, antiserum, predation.

UTILIZAÇÃO DA SEROLOGIA NA IDENTIFICAÇÃO DE FONTE DE ALIMENTO POR INSETOS PREDADORES

RESUMO - O presente trabalho teve como objetivo produzir antissoros para as principais pragas encontradas na cultura do milho Spodoptera frugiperda, Helicoverpa armigera e zea e Rhopalosiphum maidis e sua utilização na determinação de seus predadores. Amostras das pragas foram maceradas em presença de solução salina 0,85%. Os macerados foram centrifugados e os sobrenadantes utilizados como antígenos imunizantes para obtenção do antissoro. Para esse propósito, um coelho foi imunizado com 3,0 mL do antígeno imunizante na região próxima do linfonódulo. Testes serológicos homólogos foram realizados em dupla difusão em ágar. Reações serológicas homólogas foram positivas logo após sete dias da inoculação do antígeno. A técnica tem sensibilidade para detectar predação das pragas estudadas neste trabalho. Os testes foram positivos para uma presa no trato digestivo do predador até 96 h de sua ingestão. Com relação ao número de presas ingeridas, não houve diferença nas linhas. Concluiu-se que, após uma única injeção do antígeno na região do linfonódulo do coelho, foi possível obter-se antissoro específico para as pragas do milho, em que os testes de campo mostram que houve uma certa preferência alimentar de Doru luteipes por S. frugiperda, Chrysoperla externa por pulgão.

Palavras-chave: Zea mays, antígenos, antissoro, predação.


Palavras-chave


Zea mays, antígenos, antissoro, predação.

Texto completo:

PDF