ACTION SPECTRUM OF Baculovirus spodoptera ON LEPIDOPTERA PESTS

CAMILA DA SILVA FERNANDES SOUZA, FERNANDO HERCOS VALICENTE, MARCOS ANTÔNIO MATIELLO FADINI, RICARDO ANTÔNIO POLANCZYK

Resumo


ABSTRACT - This work evaluated the spectrum of action of Baculovirus spodoptera (SfMNVP) - 6NR on the fall armyworm Spodoptera frugiperda, corn earworm Helicoverpa zea and the sugar cane borer Diatraea saccharalis, species of economic importance in maize. For the bioassays, corn leaves immersed in a baculovirus suspension were used for baculovirus inoculation in fall armyworm and earworm and pieces of sugar cane for the corn borer. The foods were immersed in viral solutions of different baculovirus concentrations determined in a Neubauer chamber. The control only distilled water was used instead of the baculovirus suspension. The larvae fed for 48 hours and were then transferred to an artificial diet, without the baculovirus. After evaluating mortality, the development of the offspring (F1) was accompanied, evaluating the parameters: mortality, pupation and the number of egg masses in the first generation. The baculovirus was specific to fall armyworm and innocuous to earworm and the corn borer in the first generation. In the second generation, baculovirus was innocuous for all three species. The percentage of pupation showed an inverse relation with mortality for the three species in two generations. The number of egg masses in F1 was lower in S. frugiperda, did not change for D. saccharalis and higher in H. zea.

Keywords: Helicoverpa zea, Spodoptera frugiperda, Diatraea saccharalis, entomopathogenie virus.

ESPECTRO DE AÇÃO DE Baculovirus spodoptera A LEPIDÓPTEROS PRAGA

RESUMO - Neste trabalho foi avaliado o espectro de ação do Baculovirus spodoptera (SfMNVP) - 6NR à lagarta-do-cartucho Spodoptera frugiperda, à lagarta-da-espiga Helicoverpa zea e à broca-da-milho Diatraea saccharalis, espécies de importância econômica na cultura do milho. Para a realização dos bioensaios foram utilizadas folhas de milho imersas em suspensão com o baculovírus em concentrações determinadas em câmara de Neubauer, para lagarta-do-cartucho e para lagarta-da-espiga. Para broca-do-milho o substrato utilizado foi colmo de cana-de-açúcar. Na testemunha foi utilizada somente água destilada ao invés da suspensão com o baculovírus. As lagartas se alimentaram por 48 horas, após este período, foram transferidas para dieta artificial sem o bacilovírus. Após a avaliação da mortalidade,odesenvolvimento da prole (F1) foi acompanhado sendo avaliados os parâmetros: mortalidade, pupação e o número de massas de ovos na primeira geração. O baculovírus foi especifico para lagarta-do-cartucho e inócuo tanto para lagarta-da-espiga quanto para broca-do-milho na primeira geração. Na segunda geração, o baculovírus foi inócuo para as três espécies. A porcentagem de pupação apresentou relação inversa com a mortalidade para as três espécies nas duas gerações. O número de massas de ovos na F1 foi menor em S. frugiperda, não alterado para D. saccharalis e maior em H. zea.

Palavras-chave: Helicoverpa zea, Spodoptera frugiperda, Diatraea saccharalis, vírus entomopatogênico.


Palavras-chave


Helicoverpa zea, Spodoptera frugiperda, Diatraea saccharalis, entomopathogenie virus.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v16n1p52-60