MELHORAMENTO GENÉTICO DAS CULTIVARES DE MILHO CMS 47 E BR 5039 (SÃO VICENTE) NA REGIÃO MEIO-NORTE DO BRASIL

MILTON JOSÉ CARDOSO, HÉLIO WILSON LEMOS DE CARVALHO, MARIA DE LOURDES DA SILVA LEAL, MANOEL XAVIER DOS SANTOS

Resumo


No ano agrícola de 2000/2001, a variedade sintética CMS 47 e a variedade BR 5039 foram submetidas ao ciclo I de seleção entre e dentro de progênies de meios-irmãos, na região Meio-Norte do Brasil, visando elevar a freqüência de alelos favoráveis e obter estimativas de parâmetros genéticos e fenotípicos. Foram avaliadas 196 progênies de cada material, em látice simples 14 x 14, com recombinação das progênies superiores, dentro do mesmo ano agrícola, de modo a se obter um ciclo por ano. Para o peso de espiga, a variedade sintética CMS 47 apresentou maior variabilidade que a variedade BR 5039, refletida em um maior componente da variância genética aditiva. O ganho médio esperado com a seleção entre e dentro de progênies de meios-irmãos também expressa essa variabilidade, foi 5,63% na variedade sintética CMS 47 e 0,72%, na variedade BR 5039. A magnitude da interação progênies x locais evidenciou a importância de se avaliar as progênies em mais de um local, para melhorar a eficiência do processo seletivo e obter estimativas mais consistentes dos componentes da variância.


Palavras-chave


Zea mays, melhoramento intrapopulacional, ganho genético.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n03p%25p