EFEITO DA POPULAÇÃO DE PLANTAS E DO ESPAÇAMENTO SOBRE A PRODUTIVIDADE DE MILHO

DURVAL DOURADO NETO, PEDRO ABEL VIEIRA, PAULO AUGUSTO MANFRON, MARCOS PALHARES, SANDRO LUIS PETTER MEDEIROS, MARCELO RIBEIRO ROMANO

Resumo


Para avaliar o efeito da população de plantas (30.000, 60.000 e 90.000 plantas/ha), sob dois espaçamentos (0,40 e 0,80m), sobre o rendimento de grãos de três genótipos de milho com arquiteturas foliares aberta (AG 1051), semi-ereta (AG 7575) e ereta (DKB 911), foi conduzido um experimento em Piracicaba-SP, no período de 20 de novembro de 2000 a 10 de abril de 2001. Pôde-se concluir que: a) na maior população, a redução do espaçamento de 0,80 m para 0,40m teve efeito positivo no rendimento de grãos no genótipo de arquitetura foliar aberta; b) até 60.000 plantas/ha, independentemente do genótipo, o rendimento de grãos é crescente com o aumento da população de plantas. Com o aumento da população de plantas de 60.000 para 90.000 plantas/ha, o rendimento de grãos: a) aumenta no genótipo de arquitetura foliar ereta; b) estabiliza-se, no genótipo de arquitetura semi-ereta; c) estabiliza-se, sob o menor espaçamento, ou diminui sob espaçamento de 0,80m, no genótipo de arquitetura aberta.


Palavras-chave


Zea mays, milho, rendimento de grãos, população de plantas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n03p%25p