CULTURAS ANTECESSORAS E ADUBAÇÃO NITROGENADA NA PRODUTIVIDADE DE MILHO EM PLANTIO DIRETO IRRIGADO

LUIZ CARLOS FERREIRA DE SOUZA, MANOEL CARLOS GONÇALVES, TEODORICO ALVES SOBRINHO, EUCLIDES FEDATTO, GRACIELA DECIAN ZANON, ELIZA KIYOMI BEPPU HASEGAWA

Resumo


O nitrogênio interfere positivamente na produtividade do milho, sendo fundamental num sistema de rotação de culturas utilizando espécies vegetais que sejam capazes de contribuir para a adição desse nutriente ao solo, que poderá ser disponibilizado para a cultura sucessora. Esta pesquisa foi realizada no Núcleo Experimental de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no ano agrícola de 1998/99, em Dourados, MS. O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados, em parcelas subdivididas, com três repetições. Nas parcelas foram avaliados os efeitos da aveia preta (Avena strigosa Schieb) e do nabo forrageiro (Raphanus sativus L. var. oleiferus a Metzg) e nas subparcelas, doses de nitrogênio (0, 60, 90 e 120kg/ha) em cobertura, aplicada no híbrido triplo C-855, em plantio direto irrigado. As culturas antecessoras e doses de nitrogênio não influenciaram no diâmetro de colmo, altura de planta, índice de espigas, comprimento e diâmetro de espiga. Independente das doses de nitrogênio, o milho semeado após o nabo forrageiro apresentou maior produtividade de grãos.

 


Palavras-chave


Zea mays, rotação de culturas, adubos verdes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n03p%25p