ACÚMULO DE MATÉRIA SECA E NUTRIENTES EM CULTIVARES DE MILHO ORIGINÁRIAS DE CLIMA TROPICAL E INTRODUZIDAS DE CLIMA TEMPERADO

AILDSON PEREIRA DUARTE, JORGE DE CASTRO KIEHL, MARCOS ANTÔNIO FABIANO DE CAMARGO, PAULO CÉSAR RECO

Resumo


Objetivou-se estudar o acúmulo de matéria seca (MS) e nutrientes em cinco cultivares de milho empregadas pelos produtores e contrastantes quanto à origem do germoplasma e à duração do ciclo fenológico dentro de cada grupo. Estudou-se, ainda, a distribuição da MS e dos nutrientes nas folhas, colmos e espigas. Conduziu-se o experimento em Palmital (SP), no ano agrícola 2000/01, nos sistemas de plantio direto e sequeiro. Empregaram-se três cultivares de milho originadas de clima tropical (AG 1051, BR 3123 e BRS 4157) e duas com germoplasma de clima temperado e adaptadas às condições brasileiras (DKB 212 e P32R21). Para se obter curvas de acúmulo na parte aérea, procedeu-se a amostragem de plantas de 15 em 15 dias até os 105 dias após a emergência, enquanto, para se estudar a distribuição da MS e dos nutrientes na planta, amostras foram coletadas nos estádios final do florescimento masculino e maturidade fisiológica dos grãos, em períodos específicos para cada cultivar. Estimou-se o acúmulo máximo de MS e nutrientes por meio de equações de regressão polinomial. Os teores de nutrientes decresceram com o desenvolvimento das plantas após 30 dias da emergência. Em todas as cultivares o acúmulo de nutrientes e de MS na planta atingiu valores máximos antes do estádio de maturidade fisiológica dos grãos, exceto para Fe, cujo acúmulo continuou após esse estádio. A maior parte dos nutrientes na planta foi acumulada antes do florescimento, com exceção do P, Fe e do Zn. Apenas 13% do K da planta foram acumulados após o florescimento. As cultivares introduzidas de clima temperado, em comparação com as tropicais, acumularam mais Cu em todo o ciclo e apresentaram maior acúmulo de N, Ca, Mg, Cu, Fe, Mn e Zn após o florescimento, expressso como porcentagem do total acumulado. As cultivares de maior ciclo até a maturidade de grãos, AG 1051 e DKB 212, apresentaram os maiores acúmulos máximos de Mg, e estes ocorreram mais tardiamente do que nas demais. As cultivares tropicais adaptaram-se melhor às condições climáticas locais do que as temperadas e apresentaram maiores acúmulos de MS, K, Ca, Mg, B, Mn e Zn. O Ca foi o nutriente acumulado em menor quantidade na espiga, em relação às outras partes da planta, enquanto N, P, S e Zn foram os que mais se acumularam nesse órgão.


Palavras-chave


matéria seca, partição de nutrientes, teores de nutrientes, curvas de acúmulo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n03p%25p