MILHETO MOÍDO EM SUBSTITUIÇÃO AO MILHO EM RAÇÕES PARA SUÍNOS EM CRESCIMENTO: DIGESTIBILIDADE E DESEMPENHO

MARCELO DA SILVEIRA M. PINHEIRO, ELIAS T. FIALHO, JOSÉ AUGUSTO F. LIMA, RILKE TADEU F. DE FREITAS, ANTONIO GILBERTO BERTECHINI, HUNALDO OLIVEIRA SILVA

Resumo


Com o objetivo de verificar a viabilidade técnica da substituição do milho pelo milheto em rações para suínos em crescimento (30 aos 60kg), foram conduzidos, no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA), dois ensaios de metabolismo e um de desempenho. O primeiro ensaio de metabolismo foi realizado com 12 suínos machos castrados (31,80 ± 2,20kg/PV), objetivando determinar a digestibilidade dos nutrientes do milho moído, milheto moído e integral. O segundo ensaio foi realizado com dez suínos (42,10 ± 2,10kg/PV), para verificar a digestibilidade dos nutrientes das rações, com 0,25, 50, 75, e 100% de substituição do milho pelo milheto moído. Os animais foram mantidos em gaiolas de metabolismo e distribuídos em delineamento de blocos casualizados, com parcelas subdivididas no tempo. Os suínos utilizados nos experimentos eram mestiços (Landrace x Large White). Utilizou-se a metodologia da coleta total de excretas e o óxido férrico como marcador fecal. No ensaio de desempenho foram utilizados 120 animais de ambos os sexos, com peso vivo inicial de 30,69 ± 1,2kg, distribuídos em um delineamento em blocos casualizados, com cinco tratamentos e 12 repetições. O período experimental foi de 35 dias e os tratamentos foram os mesmos utilizados no segundo ensaio de metabolismo. De acordo com os dados, não foram encontradas diferenças significativas (P> 0,05) nas variáveis de digestibilidade aparente dos nutrientes e nos valores energéticos nos milhetos na forma moída ou integral. Em média, os coeficientes de MSD, CPBD, PD, ED e EM do milheto na base (matéria natural) foram 87,14%; 86,25%; 11,49%; 3166kcal/kg e 3040kcal/kg, respectivamente. Nas rações em que a substituição do milho pelo milheto foi de até 100% não foram observados efeitos significativos (P> 0,05) do coeficiente de digestibilidade da proteína bruta (CDPB) e retenção de nitrogênio (RN). Constou-se, entretanto, uma redução linear significativa (P< 0,01) para os valores da matéria seca digestível (MSD), da energia digestível (ED) e energia metabolizável (EM), quando se aumentaram os níveis de substituição do milho pelo milheto. Os dados de consumo de ração médio diário, ganho de peso médio diário e conversão alimentar não apresentaram diferenças significativas (P> 0,05) em função do aumento de milheto nas rações. Conclui-se que tecnicamente é possível substituir o milho moído em até 100% pelo milheto moído de forma isométrica, em rações de suínos em crescimento, dos 30 aos 60kg.


Palavras-chave


alimento alternativo, digestibilidade, desempenho.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n02p%25p