DESEMPENHO PRODUTIVO DE GENÓTIPOS DE MILHO SOB DÉFICIT HÍDRICO

RICARDO SILVA DE SOUSA, EDSON ALVES BASTOS, MILTON JOSÉ CARDOSO, VALDENIR QUEIROZ RIBEIRO, RAMILOS RODRIGUES DE BRITO

Resumo


O trabalho objetivou avaliar o desempenho produtivo de genótipos de milho sob deficiência hídrica, visando identificar aqueles com tolerância à seca. Dois experimentos, sem e com déficit hídrico durante a fase reprodutiva, foram conduzidos no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, PI, de setembro a dezembro de 2010 em delineamento de blocos ao acaso com 36 tratamentos (genótipos) e quatro repetições. As lâminas de irrigação somadas à precipitação pluvial totalizaram 691,6 mm e 490,8 mm para os experimentos sob irrigação plena (IP) e sob déficit hídrico (DH), respectivamente. A fração de esgotamento de água no solo atingiu valores máximos de 26% e 75%, respectivamente, para os experimentos IP e DH. Avaliou-se, em ambos os experimentos, o nº de grãos (NG m-2) e o nº de espigas por metro quadrado (NE m-2), a produtividade de grãos secos (PGS), com 13% de umidade e, a eficiência do uso da água (EUA). O cultivo sob déficit hídrico no solo apresentou 59,23% de redução no NG m-2; 59,5% na PG e 42,9% na EUA. Identificou-se os genótipos com melhor desempenho sob déficit hídrico: AG 7088, 3G 733 5, 1G 703 4, 3G 739 5, 3G 741 5, 2H 828 e 3H 843.

Palavras-chave


Rendimento de grãos; eficiência de uso da água; componentes de produção.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v14n1p49-60