PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE MILHO IRRIGADO EM FUNÇÃO DA CULTURA ANTECESSORA E DE DOSES DE NITROGÊNIO

LUIZ CARLOS FERREIRA DE SOUZA, EUCLIDES FEDATTO, MANOEL CARLOS GONÇALVES, TEODORICO ALVES SOBRINHO, HAROLDO CORNELIS HOOGERHEIDE, VOLNEI VASCONCELOS VIEIRA

Resumo


O experimento foi desenvolvido no Núcleo Experimental de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em Dourados, MS, no ano agrícola de 1998/99. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com três repetições. Os tratamentos foram arranjados no esquema de parcela subsubdividida, sendo as parcelas constituídas pelas culturas antecessoras de inverno: nabo forrageiro (Raphanus sativus L. var. oleiferus Metzg.) e aveia preta (Avena strigosa Schieb). As subparcelas foram constituídas por três híbridos de milho, Cargill-855, Cargill-901 e Cargill-909. Nas subsubparcelas foram aplicadas quatro doses de nitrogênio em cobertura (0; 60; 90 e 120kg/ha). A análise de variância para diâmetro de colmo, matéria seca de planta, índice de espigas, comprimento de espigas e produtividade de grãos indicou que não houve diferenças significativas (p≤ 0,05) para as culturas anteriores, híbridos e doses de nitrogênio. O híbrido Cargill-909 apresentou maior altura de planta e o C-901 o menor diâmetro de espigas. O híbrido Cargill-855 apresentou maior incidência e severidade de Phaeosphaeria maydis, diferindo significativamente, dos demais híbridos.


Palavras-chave


adubos verdes, incidência e severidade de doenças, Zea mays.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n02p%25p