CULTIVO DE SORGO EM SISTEMA DE VAZANTE COM E SEM COBERTURA MORTA

EDUARDO JOSÉ BEZERRA DA COSTA, EDUARDO SOARES DE SOUZA, GENIVAL BARROS JUNIOR, JOSÉ NUNES FILHO, JOSÉ ROMUALDO DE SOUSA LIMA, JOSÉ NILDO TABOSA, MAURÍCIO LUIZ DE MELLO VIEIRA LEITE

Resumo


O sistema de vazante consiste em plantar nas margens dos reservatórios, em solos com declive suave, enquanto o nível de água diminui progressivamente. Trata-se uma alternativa de auto-sustento constantemente empregada pelos agricultores nos períodos de estiagem no semiárido. O objetivo do trabalho foi avaliar o desempenho produtivo de quatro variedades de sorgo (IPA 2502, IPA 4202, IPA 467-42 e IPA SF-25) em sistema de vazante com e sem cobertura morta no solo. A cobertura morta foi a palhada de Taboa (Typha domingensis), escolhida por ser abundante na região. Foram avaliadas a biometria das plantas e as produções de matéria verde (MV) e de matéria seca (MS). O experimento foi em blocos ao acaso, em esquema fatorial 4 x 2, com 4 repetições. As maiores produções de biomassa foram obtidas para as cultivares IPA 467-42 e IPA SF-25. O efeito da cobertura morta foi significativo na produção de MS para a variedade IPA SF-25 e proporcionou um incremento de 62%. A produtividade média de MS de 12,85 t/ha do experimento indica o sistema de vazante como uma excelente alternativa para produção de sorgo em período de seca.

Palavras-chave


Sorghum bicolor; semiárido; Taboa (Typha domingensis)

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v14n2p182-195