ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE LINHAGENS DE SORGO EM AMBIENTES COM E SEM RESTRIÇÃO HÍDRICA

CICERO BESERRA MENEZES, FLÁVIO DESSAUNE TARDIN, ARLEY FIGUEIREDO PORTUGAL, ADENILSON DA SILVA RIBEIRO, ABNER JOSÉ DE CARVALHO, FLAVIO HENRIQUE LEAL DE ALMEIDA, EDSON ALVES BASTOS, MILTON JOSE CARDOSO, KARLA JORGE DA SILVA, CRISLENE VIEIRA DOS SANTOS

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi selecionar linhagens de sorgo mais tolerantes à seca e responsivas àmelhoria do ambiente. Os tratamentos foram arranjados em um esquema fatorial, composto por 25 linhagens e doisregimes hídricos. Os experimentos foram realizados em três anos consecutivos (2006, 2007 e 2008), totalizando seisexperimentos. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, com três repetições. Para seleção dos genótiposforam estimados parâmetros de adaptabilidade e estabilidade para produtividade de grãos utilizando os métodosunivariados de Lin & Bins e Annicchiarico, e análise multivariada AMMI. A seleção para adaptabilidade geral pelosdois primeiros métodos é bastante similar, diferindo, no entanto do terceiro método. A produtividade média daslinhagens no ambiente com estresse foi 39% menor quando comparado ao ambiente sem estresse hídrico. Foramdetectadas diferenças significativas para as interações linhagens (L) x anos (A), linhagens (L) x regime hídrico (R) eLxAxR, indicando a complexidade de se trabalhar com seleção para tolerância a seca em sorgo em nível de campo.Os métodos univariados complementaram o método AMMI, possibilitando a seleção de linhagens tolerantes, estáveise responsivas ao ambiente. As linhagens mais tolerantes e estáveis foram 9929020, CMSXS 230B e N 95B, seguidaspelas linhagens BR 008B, Tx 2737 e Tx 2908, de produtividades elevadas, mas de estabilidades intermediárias.

Palavras-chave


Sorghum bicolor; estresse hídrico; estresse abiótico; tolerância à seca; melhoramento vegetal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v14n1p101-115