SIMULAÇÃO DA NECESSIDADE HÍDRICA E ESTIMATIVA DE PRODUTIVIDADE PARA CULTURA DO MILHO EM MUNICÍPIOS DO RS

LUCIANA MARINI KOPP, MÁRCIA XAVIER PEITER, LUIS HUMBERTO BAHÚ BEN, HELENA MARIA CAMILO DE MORAES NOGUEIRA, RICHARD ALBERTO RODRIGUEZ PADRON, ADROALDO DIAS ROBAINA, TAISE CRISTINE BUSKE

Resumo


A produtividade de milho é limitada no estado do Rio Grande do Sul (RS), principalmente pela deficiência hídrica. Este trabalho teve por objetivo identificar a lâmina suplementar de irrigação e, avaliar sua viabilidade, para três municípios do RS em diferentes datas de semeadura. Foram usados dados meteorológicos de uma série de 21 anos (1992-2012), dados de solo e informações agronômicas da cultura do milho. Esses dados alimentaram o modelo WINSAREG que simulou a demanda hídrica. Com o uso de uma função de produção foram simuladas as produtividades para cada cenário estudado. Os resultados mostraram que, independente dos locais, a época de semeadura de 15/10 intensificou a produtividade, com evapotranspiração máxima de 706,43 mm, enquanto a semeadura em 15/12 apresentou o menor consumo 560,8 mm. A cidade de Uruguaiana apresentou maior evapotranspiração, onde a lâmina suplementar requerida foi de 439,26 mm, Bagé 397,3 mm e Santa Maria 343,65 mm. Sem irrigação, a expectativa de produtividade estimada, para Bagé foi de 2.897 kg.ha-1, Santa Maria 3.844 ha-1 e Uruguaiana 2.373 kg.ha-1. Os resultados mostraram que o modelo usado é uma ferramenta auxiliar para tomada de decisão quanto a viabilidade de investimentos em sistemas de irrigação para o cultivo de milho, no estado do RS.


Palavras-chave


necessidade hídrica, déficit hídrico, simulação, Zea mays

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v14n2p235-246