INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ESTANDE NA ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE SORGO BIOMASSA

VANDER FILLIPE DE SOUZA, RAFAEL AUGUSTO DA COSTA PARRELLA, CÍCERO BEZERRA DE MENEZES, FLÁVIO DESSAUNE TARDIN, ANDRÉ MAY, BEATRIZ MARTI EMYDGIO, CYNTHIA MARIA BORGES DAMASCENO, ROBERT EUGENE SCHAFFERT

Resumo


Em ensaios de competição de cultivares, a desuniformidade na população de plantas pode proporcionar a superioridade não genética entre os materiais testados. Objetivou-se, com o presente trabalho, verificar a influência dos métodos de correção de estande na recomendação de cultivares de sorgo biomassa pelo método de adaptabilidade e estabilidade de Annicchiarico. Foram avaliadas 25 cultivares no delineamento de blocos ao acaso, com três repetições, em cinco ambientes. Os métodos utilizados para correção do estande foram regra de três, Zuber, covariância para estande médio, covariância para estande ideal, Cruz, Vencovsky & Cruz e correção estratificada. Os dados sem correção foram utilizados como referência. Apesar de ocorrer mudanças nos rankings de classificação da adaptabilidade e da estabilidade, os genótipos indicados foram os mesmos para a maioria dos métodos de correção do estande. A correção por covariância para estande ideal foi considerada a mais eficiente, por promover redução no coeficiente de variação e na relação entre o maior e o menor quadrados médios do resíduo dos ambientes avaliados. Ao todo, dez híbridos desenvolvidos pelo programa de melhoramento da Embrapa Milho e Sorgo foram considerados adaptados e estáveis pelo método de Annicchiarico e superaram as cultivares comerciais avaliadas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v13n3p371-381