EFICIÊNCIA DA Azospirillum brasilense COMBINADA COM DOSES DE NITROGÊNIO NO DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS DE MILHO

RODRIGO ALBERTO REPKE, SIHELIO JULIO SILVA CRUZ, CARLOS JORGE DA SILVA, PRISCILA GONZALES FIGUEIREDO, SILVIO JOSÉ BICUDO

Resumo


 


Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do uso da bactéria diazotrofica Azospirillum brasilense inoculada via sementes em associação com doses de nitrogênio no desenvolvimento de plantas de milho. A pesquisa foi composta por um ensaio com delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro repetições, em esquema fatorial duplo. O fator 1, dois níveis: sem e com aplicação da solução da bactéria Azospirillum brasilense nas sementes; e o fator 2, seis doses totais de nitrogênio: zero, 80, 105, 130, 155 e 180 kg ha-1. As avaliações morfológicas da planta e da espiga foram realizadas aos 20, 40, 60, 80 e 100 dias após a emergência. A aplicação da bactéria diazotrofica Azospirillum brasilense via solução nas sementes, acompanhada ou não de doses de nitrogênio sintético, não interfere no desenvolvimento de plantas e na produtividade da cultura do milho. A adoção desta prática não substitui o uso de fertilizantes nitrogenados e tampouco permite a redução da dose. A adição de fertilizantes nitrogenados promove maior desenvolvimento das plantas, com aumento da produtividade.


Palavras-chave


Zea mays; fixação biológica de nitrogênio; adubação nitrogenada

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v12n3p214-226