PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM FUNÇÃO DO ESPAÇAMENTO E DA POPULAÇÃO DE PLANTAS EM SISTEMA DE PLANTIO CONVENCIONAL

AMILTON FERREIRA DA SILVA, EVANDRO LUIZ SCHONINGER, GUSTAVO CAIONE, CLEIDE KUFFEL, MARCO ANTONIO CAMILLO DE CARVALHO

Resumo


 

O espaçamento e a população de plantas afetam a produtividade do milho. Objetivou-se, com o presente trabalho, avaliar o efeito da população de plantas e do espaçamento entrelinhas sobre o crescimento e a produtividade de dois híbridos de milho. O experimento foi realizado em sistema de cultivo convencional no município de Alta Floresta, Mato Grosso, em um Latossolo Vermelho Amarelo distrófico. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, em esquema fatorial 3x2x2, com três repetições, sendo três densidades de semeadura da cultura do milho (40.000, 60.000 e 80.000 plantas ha-1), dois espaçamentos entrelinhas (0,45 m e 0,90 m) e dois híbridos de milho (AS 32 e AS 1540). Foram avaliadas as variáveis de crescimento (altura de plantas, altura de inserção de espiga, comprimento do entrenó e diâmetro de colmo) e os componentes de produção (comprimento da espiga, diâmetro da espiga, massa do sabugo, diâmetro do sabugo, número de grãos por fileira, fileiras por espiga e massa de 100 grãos), além da produtividade de grãos. Os híbridos estudados (AS 32 e AS 1540) apresentam respostas semelhantes para as variáveis de crescimento (altura de inserção de espiga, altura de plantas, comprimento do entrenó e diâmetro do colmo) e produtividade de grãos. O espaçamento de 0,45 m entrelinhas promove aumento de produtividade de grãos de 17,2% em relação ao espaçamento de 0,90 m, sendo o comprimento da espiga e o número de grãos por fileira os principais responsáveis por esse aumento. As densidades de 60.000 e 80.000 plantas ha-1 proporcionam incremento na produtividade de grãos de 12,5 e 13,6%, respectivamente, quando comparadas à população de 40.000 plantas ha-1.


Palavras-chave


densidade de semeadura, arranjo populacional, produtividade de grãos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v13n2p162-173