COMPOSIÇÃO MORFOLÓGICA E NUTRICIONAL DE PLANTAS E SILAGENS DE MILHO EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO

MARCOS ROGÉRIO OLIVEIRA, MIKAEL NEUMANN, CLÓVIS CABREIRA JOBIM, ROBSON KYOSHY UENO, FABIANO MARAFON, JARDEL NERI

Resumo


 

Objetivou-se avaliar as características morfológicas e nutricionais da planta de milho em diferentes estádios de maturação. Baseado nas curvas de taxa de secagem, o avanço do estádio de maturação proporcionou taxas lineares crescentes de secagem, com média diária de 0,45% de matéria seca (MS) no conjunto brácteas mais sabugo, de 0,15% de MS nas folhas e de 1,28% de MS nos grãos, consequentemente, na planta de milho acresceram na ordem de 0,39% de MS. A ensilagem no estádio de maturação R5 (32,6% de MS) promoveu aumento na produção de matéria verde (de 50.565 para 62.234 kg ha-1), na produção de MS (de 12.944 para 20.288 kg ha-1), na produção de grãos (de 3.100 para 8.329 kg ha-1) e nos nutrientes digestíveis totais (de 64,48 para 69,56% na MS), concomitantemente, proporcionou reduções na fibra em detergente neutro (de 55,08 para 50,55% na MS) e na fibra em detergente ácido (de 33,38 para 26,12% na MS), comparativamente ao estádio R3-R4 (25,6% de MS). Com o avanço no estádio de maturação, os componentes morfológicos foram dependentes dos teores de MS e da sua participação na constituição da planta.


Palavras-chave


Zea mays L.; época de corte; valor nutricional.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v12n2p183-191