DESEMPENHO DE HÍBRIDOS DE MILHO NA REGIÃO MEIO-NORTE DO BRASIL

MILTON JOSÉ CARDOSO, HÉLIO WILSON LEMOS DE CARVALHO, MANOEL XAVIER DOS SANTOS, MARIA DE LOURDES DA SILVA LEAL, ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA

Resumo


Desenvolveu-se este trabalho com o objetivo de conhecer a adaptabilidade e a estabilidade de produção de diversos híbridos de milho, quando submetidos a diferentes condições ambientais na região Meio-Norte do Brasil. As produtividades médias alcançadas mostraram o grande potencial da região para a produção do milho, destacando-se como mais favoráveis ao cultivo do mesmo os municípios de São Raimundo das Mangabeiras, no Maranhão e, Baixa Grande do Ribeiro, Teresina e Parnaíba, no Piauí. A análise de variância conjunta mostrou diferenças significativas entre os híbridos para a produtividade de grãos e comportamento diferenciado frente às oscilações ambientais. Os híbridos que mostraram rendimentos médios acima da média geral (7.166kg/ha) expressaram melhor adaptação, destacando-se, como genótipo ideal preconizado pelo modelo bissegmentado o híbrido simples A 2560. Os híbridos BRS 3060, Zeneca 84 E 90, Zeneca 8420, DKB 350, Zeneca 85 E 03 e Colorado 32 mostraram maior número de requisitos necessários para a adaptação a ambientes favoráveis. De especial interesse para a região também são os híbridos que evidenciaram boa adaptação (média superior à média geral), estimativas de b1 tendendo para zero e estimativas de R2> 80%, a exemplo dos AG 6690, Dina 657, Agromen 3050, A 2366, AG 7575 e Agromen 2012.


Palavras-chave


Zea mays, cultivar, interação genótipo e ambientes, rendimento de grãos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n01p%25p