DOSES DE NITROGÊNIO NA CULTURA DO MILHO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES DE GRÃOS

LUIZ PAULO DORNELAS SANTOS, LEONARDO ANGELO AQUINO, PEDRO HENRIQUE MARQUES PAULA NUNES, FELIPE OLIVEIRA XAVIER

Resumo


 

O alcance do máximo potencial produtivo do milho é dependente do adequado fornecimento de nitrogênio (N). Em função disso, objetivou-se avaliar o efeito de doses de N sobre a produtividade e o teor foliar de N da cultura do milho em Sistema de Plantio Direto e em Sistema de Preparo Convencional do Solo. Foram instalados dois experimentos em Latossolo Vermelho Amarelo de textura argilosa em Rio Paranaíba, MG. Utilizou-se delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro repetições. Os tratamentos consistiram de seis doses de N: 40, 100, 160, 220, 280 e 340 kg ha-1. Avaliou-se o número de plantas por metro, a prolificidade, a produtividade, a matéria seca foliar, o teor e o conteúdo de N foliar na cultura do milho. Há influência das doses de nitrogênio em todas as variáveis avaliadas, exceto no número de plantas por metro e na prolificidade, no caso do experimento em Sistema de Plantio Direto. As doses de máxima produtividade são 316 e 340 kg ha-1, respectivamente, para Sistema de Plantio Direto e Sistema de Preparo Convencional do Solo.


Palavras-chave


Zea mays; matéria seca foliar; alto rendimento; conteúdo de nutriente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v12n3p270-279