COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS COMERCIAIS DE MILHO EM SOLOS HIDROMÓRFICOS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MARILDA PEREIRA PORTO, LINDOLFO STORCK

Resumo


A diversificação da produção agrícola, nas várzeas arrozeiras do Rio Grande de Sul, visa qualificar o sistema produtivo dessas áreas, alicerçado, historicamente, no binômio pecuária-arroz. A cultura do milho constitui uma opção de produção de grãos, beneficiando o sistema de rotação e ampliando a oferta do produto no Estado. A produtividade de híbridos de milho é muito influenciada pelo ambiente de várzeas, podendo haver interação entre genótipo e ambiente. Este estudo teve o objetivo de identificar híbridos de milho estáveis e/ou responsivos em rendimento de grãos, em diferentes ambientes de solos hidromórficos, no Rio Grande do Sul. Foram utilizados os resultados de ensaios de híbridos de milho, conduzidos em 15 ambientes de solos hidromórficos, no período agrícola de 1995/96 a 2000/01. Foi utilizada a análise de estabilidade pelo modelo bisegmentado descontínuo desbalanceado (Storck, 1998). A classificação dos híbridos deu-se pela comparação de sua média com a média geral em função dos parâmetros da equação bissegmentada descontínua (β1 e β2) e em função da  qualidade do ajustamento (R2). Classificaram-se os híbridos AG 6018, P 30F33, P 30K75, DKB 215 e DKB 344 como indicados para ambientes médios; os híbridos AGN 2012, AGN 3150, BRS 3060 e P 30R07 indicados apenas para ambientes acima da média e os híbridos AG 5011, G 800, P 3021 e P 3063, indicados para qualquer ambiente, quer dizer, são do tipo ideal (ou responsivos). Os demais híbridos não foram indicados por apresentarem baixa estabilidade ou rendimento médio abaixo da média geral de 5.704t/ha.


Palavras-chave


Zea mays L., cultivar, genótipo x ambiente, produção de grãos, várzea.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v2n01p%25p