DESEMPENHO DE GENÓTIPOS DE SORGO SILAGEIRO NO RIO GRANDE DO SUL NA SAFRA 2011/2012

ZEFERINO GENÉSIO CHIELLE, JORGE FAINÉ GOMES, JACSON ZUCHI, NILTON LUIS GABE, LIA ROSANE RODRIGUES

Resumo


 


Vinte e três genótipos comerciais e experimentais de sorgo foram semeados em três locais no Rio Grande do Sul na safra 2011/12 para avaliação comparativa com milho e para identificação dos genótipos mais produtivos em massas verde (MV) e seca (MS) para silagem. O delineamento experimental usado foi em blocos casualizados com quatro repetições, com parcelas de quatro fileiras de 5 m de comprimento, espaçadas em 50 ou em 70 cm, sendo avaliadas as duas linhas centrais. Em todo o ciclo, as precipitações pluviais foram baixas, correspondendo a 65, 53 e 74% das normais de Pelotas, São Borja e Vacaria, respectivamente. A produção de MV e de seca MS do sorgo superou a do milho em Pelotas (64 e 112% superiores, respectivamente) e em São Borja (136 e 125% superiores, respectivamente). Em Vacaria, a produção de MV e de MS do sorgo correspondeu a aproximadamente 80% da produção do milho. Na média dos três ensaios, PAST 19-10-AA-04AA apresentou porte (254 cm) e MS (19.997 kg ha-1) superiores. Também se destacaram PAST RS 12 Sel (48.250 kg MV e 15.586 MS kg ha-1), Fepagro RS 11 (49.057 kg MV e 14.763 kg MS ha-1) e PAST 21-08 (44.710 kg MV e 14.139 kg MS ha-1). Os genótipos de sorgo apresentaram desempenho geral superior ao do milho, confirmando que o sorgo é alternativa para obtenção de silagem e biomassa em períodos de estiagem.


Palavras-chave


Sorghum bicolor; melhoramento; cultivar; variedade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v12n3p260-269