COMPOSTOS NITROGENADOS, PROTEÍNAS E AMINOÁCIDOS EM MILHO SOB DIFERENTES NÍVEIS DE SILÍCIO E DEFICIÊNCIA HÍDRICA

LUMA CASTRO DE SOUZA, JACKELINE ARAÚJO MOTA SIQUEIRA, JONNY LUCIO SOUSA SILVA, JAOMARA NASCIMENTO DA SILVA, CARLA CAROLYNNE RESUENO COELHO, MYRIAM GALVÃO NEVES, CÂNDIDO FERREIRA DE OLIVEIRA NETO, ALLAN KLYNGER DA SILVA LOBATO

Resumo


 

O milho (Zea mays L.) faz parte da família Poaceae e é uma das plantas que apresenta grande importância para o Brasil, sendo produzido em várias regiões do país. O uso de silício (Si) na agricultura vem ganhando destaque no combate a diversos fatores abióticos, dentre eles a deficiência hídrica. O objetivo deste trabalho foi estudar o comportamento de compostos nitrogenados, proteínas e aminoácidos solúveis totais em plantas de milho sob diferentes níveis de Si e deficiência hídrica. O experimento foi conduzido em casa de vegetação da Universidade Federal Rural da Amazônia - Capitão Poço, utilizando-se plantas de milho variedade PZ 242, provenientes da safra 2010. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado (DIC) com sete repetições, sendo os tratamentos constituídos de controle (sem déficit hídrico), déficit hídrico sem aplicação de Si e déficit hídrico com quatro diferentes doses de Si na forma de metassilicato de sódio (0,5; 1,0; 1,5 e 2,0 mm Si). A deficiência hídrica promoveu alterações no conteúdo relativo de água e em todos os processos bioquímicos avaliados, tais como a atividade da redutase do nitrato e concentrações de proteínas, aminoácidos, amônio livre e nitrato. No entanto, o Si apresentou resultados satisfatórios em amenizar os efeitos negativos da deficiência hídrica sobre as plantas de milho, principalmente nas doses de 0,5 e 1,0 mm Si.


Palavras-chave


Zea mays L.; estresse; fatores abióticos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v13n2p117-128