ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS E ENZIMÁTICAS EM SEMENTES DE MILHO SUBMETIDAS A DIFERENTES ÉPOCAS DE COLHEITA E MÉTODOS DE DEBULHA

JOÃO CARLOS CARDOSO GALVÃO, PATRÍCIA MARLUCI CONCEIÇÃO, EDUARDO FONTES ARAÚJO, JULIANE KARSTEN, FERNANDO LUIZ FINGER

Resumo


As condições adversas do ambiente e os danos mecânicos aceleram a deterioração das sementes. Durante esse processo, ocorrem diminuição da qualidade fisiológica e alterações nas atividades enzimáticas das sementes. Neste trabalho, objetivou-se avaliar as alterações fisiológicas e alterações nas atividades das enzimas peroxidase, catalase, álcool desidrogenase e α-amilase em sementes colhidas em diferentes épocas (experimento 1) e sementes submetidas a diferentes métodos de debulha (experimento 2). Foram utilizadas sementes de milho da variedade UFV-M100 Nativo. No experimento 1, as sementes foram colhidas em quatro épocas: quando atingiram o teor de água de 25% e 10, 20 e 30 dias após a primeira colheita. No experimento 2, as sementes foram colhidas com teor de água de 25% e submetidas às debulhas: manual, em debulhador estacionário manual e em debulhador estacionário. O atraso da colheita das sementes reduz a qualidade fisiológica das sementes, com a redução da atividade da peroxidase e aumento da atividade da álcool desidrogenase. Nas sementes debulhadas em debulhador estacionário manual, foram verificadas menor atividade das enzinas peroxidase e álcool desidrogenase e menor qualidade fisiológica em relação aos demais tratamentos. As alterações enzimáticas nas sementes variam com o tipo de dano (mecânico, condições adversas do ambiente).


Palavras-chave


enzima; qualidade fisiológica; peroxidase; álcool desidrogenase

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v13n1p14-23