MANEJOS DO MILHETO E DOSES DE NITROGÊNIO NA CULTURA DO MILHO EM SISTEMA PLANTIO DIRETO

RAFAEL GONÇALVES VILELA, ORIVALDO ARF, DOUGLAS DE CASTILHO GITTI, CLAUDINEI KAPPES, RENATO JAQUETO GOES, EDJAIR AUGUSTO DAL BEM, JOSÉ ROBERTO PORTUGAL

Resumo


 

O presente trabalho foi conduzido no município de Selvíria, Mato Grosso do Sul, na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade de Engenharia, Campus de Ilha Solteira - Unesp, com o objetivo de verificar o efeito de manejos do milheto (herbicida, triturador horizontal, rolo faca e roçadora) e doses de nitrogênio (0, 40, 80, 120 e 160 kg ha-1) sobre as características agronômicas e a produtividade do milho cultivado em sistema plantio direto. O delineamento experimental foi disposto em blocos casualizados em esquema fatorial de 4x5, com quatro repetições. Utilizaram-se o cultivar de milheto BRS 1501 e o híbrido de milho 30F35H. Nesta pesquisa, avaliaram-se altura de planta e de inserção da primeira espiga, número de fileiras de grãos por espiga e de grãos por fileira, massa de cem grãos e produtividade. Os resultados obtidos permitiram concluir que a forma de manejo adotada para a cultura do milheto não influenciou na produtividade do milho. A maior produtividade do milho foi verificada com a dose de 160 kg ha-1 de N.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n3p234-242