EFICIÊNCIA DA TERRA DE DIATOMÁCEA NO CONTROLE DO GORGULHO DO MILHO AO LONGO DO TEMPO

LUIDI ERIC GUIMARÃES ANTUNES, JULIANA SERAFINI LEMCHEN, PAULO ANDRÉ ROCHA PETRY, ROBERTO GOTTARDI, RAFAEL GOMES DIONELLO

Resumo


 

Objetivou-se avaliar a mortalidade e a emergência de Sitophilus zeamais Motschulsky (Coleoptera: Curculionidae) em grãos de milho tratados com terra de diatomácea ao longo de 60 dias. Utilizaram-se grãos com teores de umidade de 12, 14 e 17%, tratamentos com 0, 500, 1500 e 2500 g t-1 do produto, em que cada tratamento foi composto por cinco repetições com 100g de grãos. Foram utilizados recipientes plásticos para deposição dos tratamentos e a infestação de 20 adultos de S. zeamais em cada repetição. As análises ocorreram aos 30 e aos 60 dias após a infestação, a qual ocorreu com 1h e 15 dias após a aplicação do produto. Tanto aos 30 como aos 60 dias, não se obteve diferença estatística entre as dosagens utilizadas dentro de cada umidade e período de infestação. A maior média de emergência (213,40 insetos) foi observada no tratamento controle do lote com 14% de umidade com 1h de infestação e diferiu estatisticamente dos demais tratamentos e da infestação com 15 dias. Conclui-se que a terra de diatomácea apresenta eficiência satisfatória no controle de S. zeamais e que a umidade inicial dos grãos não interferiu na eficácia do produto.


Palavras-chave


Sitophilus zeamais, pó-inerte, mortalidade, emergência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n3p217-224