SELETIVIDADE E EFICÁCIA DE HERBICIDAS APLICADOS EM PÓS-EMERGÊNCIA NA CULTURA DO SORGO FORRAGEIRO

ELIANE REGINA ARCHANGELO, ANTÔNIO ALBERTO DA SILVA, JOÃO BAPTISTA DA SILVA, DÉCIO KARAM, ANTÔNIO AMÉRICO CARDOSO

Resumo


Avaliou-se a tolerância da cultura do sorgo forrageiro e o controle de plantas daninhas em relação a diferentes doses de Primestra SC (atrazine 200g/L + metolachlor 300g/L) com ou sem adição de óleo mineral (Assist) à calda. Além das testemunhas com e sem capina o experimento constou de 12 tratamentos, constituídos por cinco doses de Primestra SC (1,5; 3,0; 6,0; 9,0 e 12,0 L/ha), com e sem a adição de Assist (1,5L/ha); Gesaprim 500 a 4,8L/ha (atrazine 2,4kg/ha) e Primóleo a 6,0L/ha {atrazine + óleo vegetal (2,4+1,8kg/ha)}, aplicados sobre plantas de sorgo forrageiro (AG 2002) com 11 dias após a emergência, plantas daninhas dicotiledôneas com duas a quatro folhas e as monocotiledôneas com um perfilho. Observou-se a recuperação total das plantas de sorgo aos sintomas de toxicidade dos herbicidas. Na testemunha sem capina, verificou-se 24% de redução na produção de biomassa verde aérea de plantas do sorgo, em comparação à testemunha com capina, enquanto que na biomassa seca não houve redução significativa. O Primestra SC de 6,0 a 12L/ha proporcionou 98% de controle de plantas daninhas dicotiledôneas. Todavia, esse herbicida mostrou-se eficiente para o controle de monocotiledôneas, somente a 12L/ha para obter um controle de 94%. O Gesaprim 500 e o Primóleo promoveram redução no número e na biomassa seca aérea de plantas daninhas dicotiledôneas, em relação à testemunha sem capina, não se verificando, todavia, diferença entre os dois herbicidas. Entretanto, para o controle total de plantas daninhas, o Primóleo foi mais eficiente em relação ao Gesaprim 500. Independente da dose de Primestra SC aplicada, com ou sem adição de Assist, o controle de monocotiledôneas e total de plantas daninhas não diferiu daquele proporcionado pelo Primóleo. A adição de Assist à calda herbicida, no caso de Primestra SC, interferiu negativamente na eficiência de controle de dicotiledôneas, indicando possível antagonismo. Nenhum dos herbicidas avaliados apresentou controle eficiente de monocotiledôneas, com exceção de Primestra SC a 12L/ha, com controle de 94%.


Palavras-chave


Tolerância, plantas daninhas, atrazine, metolachlor, Sorghum bicolor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v1n03p%25p