EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DA MANCHA BRANCA DO MILHO

RODRIGO VÉRAS DA COSTA, LUCIANO VIANA COTA, DAGMA DIONÍSIA DA SILVA, FABRÍCIO EUSTÁQUIO LANZA, JOSÉ EDSON FONTES FIGUEIREDO

Resumo


 

 

A mancha branca é uma das principais doenças da cultura do milho no Brasil na atualidade. Dentre as medidas recomendadas para o controle da mancha branca, a resistência genética e o uso de fungicidas são as mais utilizadas pelos produtores. No entanto, relatos de baixa eficiência de controle com diferentes grupos químicos têm sido frequentes, o que tem gerado dúvidas quanto à sua eficiência no controle dessa doença em condição de campo. No presente trabalho, foram conduzidos quatro ensaios, em condição de campo, utilizando-se cultivares com diferentes níveis de resistência ou suscetibilidade à mancha branca do milho. Foi avaliada a eficiência de diferentes grupos químicos de fungicidas no manejo da mancha branca do milho em diferentes números de aplicações. Com os resultados obtidos, verificou-se que os fungicidas do grupo das estrobilurinas foram os que apresentaram maior eficiência no controle da doença. Os fungicidas triazóis, carbendazim, o tiofanato metílico e os antiobióticos oxitetraciclina e kasugamicina apresentaram baixa eficiência de controle.

 


Palavras-chave


Pantoea ananatis; manejo; controle químico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n3p291-301