ATIVIDADE ENZIMÁTICA NA CULTURA DO MILHO EM FUNÇÃO DO MOLIBDÊNIO E DE ÉPOCAS DE ADUBAÇÃO NITROGENADA

MANOEL MOTA SANTOS, RODRIGO RIBEIRO FIDELIS, FERNANDO LUIZ FINGER, GLAUCO VIEIRA MIRANDA, IVO RIBEIRO SILVA, JOÃO CARLOS CARDOSO GALVÃO

Resumo




Aplicações de nitrogênio e de molibdênio em diferentes épocas podem interferir na atividade enzimática na cultura do milho. Objetivou-se, com este trabalho, verificar o efeito da adubação nitrogenada e molibídica sobre a atividade da enzima nitrato redutase, teor de nitrogênio e produtividade de grãos em dois cultivares de milho. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, no esquema fatorial 3 x 2 x 2 + 2, com quatro repetições. Foram avaliadas: atividade enzimática em função das épocas de coleta; teor de nitrogênio foliar; e produtividade de grãos em ambos os cultivares. A época de aplicação do nitrogênio interfere na atividade enzimática independente da adubação com molibdênio. A maior produtividade de grãos e atividade enzimática foi obtida com a aplicação de nitrogênio na época em que o milho estava com quatro folhas expandidas. Os ciclos vegetativos dos cultivares de milho podem interferir na resposta da atividade enzimática.


Palavras-chave


Nitrogênio, redutase de nitrato, glutamina sintetase, Zea mays

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n2p145-155