SELETIVIDADE DE INSETICIDAS UTILIZADOS NO CONTROLE DA LAGARTA-DO-CARTUCHO PARA OVOS E NINFAS DE Doru luteipes

ANA CAROLINA MACIEL REDOAN, GERALDO ANDRADE DE CARVALHO, IVAN CRUZ, MARIA DE LOURDES CORRÊA FIGUEIREDO, RAFAEL BRAGA DA SILVA

Resumo


Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) é considerado um eficiente predador e estudos recentes têm demonstrado a possibilidade de utilização desse inseto no controle de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) na cultura do milho (Zea mays L.). O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de inseticidas registrados para o controle de S. frugiperda na cultura do milho sobre ovos e ninfas de primeiro instar do predador D. luteipes. Avaliou-se a viabilidade dos ovos tratados com os inseticidas e a porcentagem de sobrevivência de D. luteipes em cada instar. Depois de 96 horas após o início da exposição, todos os inseticidas foram classificados como nocivos (classe 4) para ninfas de primeiro instar de D. luteipes. Quanto à viabilidade dos ovos de D. luteipes, triflumurom,tiametoxam/λ-cialotrina e teflubenzurom/α-cipermetrina foram tóxicos (classe 4); clofenapir e espinosade levemente nocivos (classe 2) e etofemproxi inócuo (classe 1). Os inseticidas avaliados não apresentaram seletividade fisiológica para ninfas de D. luteipes, devendo ser avaliados em semicampo e campo para confirmar os resultados obtidos em condições reais da cultura.


Palavras-chave


Controle biológico; Controle químico; Predador; Toxicidade; Zea mays.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n1p25-34