AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS DE SORGO PARA SILAGEM POR MEIO DA DEGRADABILIDADE IN SITU

ROGÉRIA MARTINS CARDOSO, DANIEL ANANIAS DE ASSIS PIRES, VICENTE RIBEIRO ROCHA JÚNIOR, PAULA RAMIREZ MOREIRA, ÉRICO RYUJIRO KANEMOTO, LUCIANA OLIVA BARBOSA LIMA, LEIDIANE REIS PIMENTEL

Resumo


O experimento foi realizado na Fazenda Experimental da UNIMONTES em Janaúba, Minas Gerais, com o objetivo de avaliar a degradabilidade in situ e a cinética de degradação da matéria seca, proteína bruta das silagens de quatro genótipos de sorgo, com presença e ausência de tanino nos grãos. Foram utilizados, duas linhagens isogênicas de sorgo granífero (CMS-XS 114 com tanino e CMS-XS 165 sem tanino) e dois híbridos de sorgo (BR-700 duplo propósito com tanino e BR-601 forrageiro sem tanino). O plantio dos genótipos foi realizado no verão de 2009, em canteiros de 5 m de comprimento, 3 m de largura e espaçamento de 75 cm entre linhas. Após o corte, o material foi ensilado. Após a abertura dos silos as amostras foram pré-secas, moídas e acondicionados em frascos de vidro para análises de matéria seca, proteína bruta NH3/NT e digestibilidade in situ da matéria seca. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições e quatro tratamentos e as médias comparadas pelo teste de Tukey ao nível de 5% de significância. Quanto à taxa de degradação da MS a silagem da linhagem CMSXS165 sem tanino foi superior a todos os tratamentos. O genótipo da linhagem isogênica sem tanino (CMSXS 165) apresentou maior degradabilidade efetiva da PB do que a linhagem com tanino (CMSXS 114). Assim, os resultados encontrados nesse experimento permitem concluir que a presença do tanino pode reduzir a degradabilidade ruminal, da matéria seca e proteína bruta.


Palavras-chave


Forragem, valor nutricional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v11n1p106-114