AVALIAÇÃO DE DIFERENTES FONTES E DOSES DE NITROGÊNIO NA ADUBAÇÃO DA CULTURA DO MILHO (Zea mays L.)

ANDRÉ MARTINS DE QUEIROZ, CARLOS HENRIQUE EITERER DE SOUZA, VANESSA JÚNIA MACHADO, REGINA MARIA QUINTÃO LANA, GASPAR HENRIQUE KORNDORFER, ADRIANE DE ANDRADE SILVA

Resumo


A adubação nitrogenada é um dos principais responsáveis pelo acréscimo de produtividade, mas também é o nutriente com maiores índices de perdas, principalmente quando aplicado em superfície. O objetivo deste trabalho foi avaliar diferentes fontes e doses desse nutriente e seu efeito na produção do milho e no peso de 1.000 grãos. O experimento foi realizado em Patos de Minas, MG, na safra 2009/2010. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, no esquema fatorial 3 x 4 + testemunha, constituindo 13 tratamentos e quatro repetições. As fontes utilizadas foram ureia, nitrato de amônio e ureia polimerizada e as doses de N em cobertura foram de 0, 40, 80, 120 e 160 kg.ha-1; as parcelas foram colhidas e o milho foi pesado e convertido para a umidade de 13%, a massa de 1.000 grãos foi determinada por amostragem da quantidade total de cada parcela. Na condição estudada, não se observou diferença significativa entre as fontes utilizadas, porém, o incremento das doses, em todas as fontes, apresentou acréscimo tanto na produção (11,083 kg para cada kg.ha-1 de N acrescentado) como na massa de 1.000 grãos (0,1025 g para cada kg.ha-1 de N).


Palavras-chave


fertilizantes, liberação gradativa, nitrogênio, milho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n3p257-266