FONTES E DOSES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA, NO SORGO GRANÍFERO NA SAFRINHA

RENATO JAQUETO GOES, RICARDO ANTONIO FERREIRA RODRIGUES, ORIVALDO ARF, OTTON GARCIA DE ARRUDA, RAFAEL GONÇALVES VILELA

Resumo


A adubação nitrogenada em cobertura não é uma prática comum na cultura do sorgo granífero, na safrinha, destinando-se ao sorgo a necessidade da produção de palhada e grãos com resíduos da adubação utilizada para culturas de verão. O objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta da cultura do sorgo granífero na safrinha, submetida à doses e fontes de nitrogênio em cobertura. Os tratamentos constituíram-se da combinação de duas fontes nitrogenadas (ureia e sulfato de amônio), com cinco doses de nitrogênio (0, 20, 40, 60 e 80 kg.ha-1) aplicadas em cobertura, no estádio de iniciação da panícula (EC2). O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados no esquema fatorial 2 x 5, com quatro repetições por tratamento. Neste estudo, avaliaram-se a altura das plantas, o diâmetro do colmo, o número de grãos por panícula, a matéria seca das plantas, índice de colheita, massa de 100 grãos e a produtividade de grãos. O sulfato de amônio aumentou a altura das plantas. O híbrido avaliado apresentou uma relação linear da matéria seca das plantas em função das doses de nitrogênio em cobertura e observou-se que o sulfato de amônio aumentou a produtividade de matéria seca em comparação à ureia. Houve uma relação quadrática das doses de nitrogênio em cobertura e da produtividade de grãos, obtendo-se 3.389,4 kg.ha-1 de grãos com 65,10 kg.ha-1 de nitrogênio em cobertura.


Palavras-chave


Sorghum bicolor L. Moench, sulfato de amônio, uréia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n2p121-129