RENDIMENTO DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA BRIZANTHA AFETADO PELA LOCALIZAÇÃO DO ADUBO E APLICAÇÃO DE HERBICIDA

RAMON COSTA ALVARENGA, MIGUEL MARQUES GONTIJO NETO, ANDRÉA APARECIDA DUTRA NAVES DE CASTRO, ANTONIO MARCOS COELHO, ELIANE DE PAULA CLEMENTE

Resumo


O consórcio milho-braquiária brizantha (Zea mays-Brachiaria brizantha) é a tecnologia de maior interesse na integração lavoura-pecuária. Para estudar esse consórcio, foram testadas diferentes estratégias de adubação de base tanto na linha quanto nas entrelinhas do milho e o uso de subdoses de herbicida para controle do crescimento da braquiária, em solo com fertilidade corrigida. O crescimento e a produtividade do milho não foram afetados pelo consórcio com braquiária, mesmo sem controle químico da forrageira, bem como pela localização do fertilizante de base. Por outro lado, o crescimento da braquiária foi menor quando consorciada e cresceu menos na linha do milho, em comparação às plantas da entrelinha. O herbicida retardou o crescimento da braquiária. O maior crescimento da braquiária da entrelinha em comparação àquela da linha foi atribuído tanto à menor pressão exercida pelo milho quanto à adubação dessa faixa de solo. Os resultados alcançados permitem recomendar, para solo já recuperado quimicamente, a adubação de base do consórcio milho + braquiária na proporção de 33,3-33,3-33,3 ou 25-50-25% de adubo em sulcos de plantio do milho + braquiária, e laterais somente com braquiária, para sistemas de integração lavoura-pecuária, em detrimento da recomendação atual de 100% do adubo na linha de semeadura do milho (00-100-00).


Palavras-chave


Zea mays, Brachiaria brizantha, integração lavoura-pecuária, adubação localizada, fertilização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n3p224-234