EXTRATORES PARA FÓSFORO DISPONÍVEL EM LATOSSOLOS E EFICIÊNCIA DE FONTES FOSFATADAS PARA MILHO CULTIVADO EM VASO

CARLOS HENRIQUE EITERER DE SOUZA, VANESSA JÚNIA MACHADO, ITHAMAR PRADA NETO, TADEU CARRIJO BENEDETTI, REGINA MARIA QUINTÃO LANA

Resumo


O ensaio foi realizado no Centro Universitário de Patos de Minas, MG, Brasil, com plantas de milho, em amostras de solos classificados como Latossolo Amarelo textura média (LAm), Latossolo Vermelho textura argilosa (LVarg) e Latossolo Vermelho textura muito argilosa (LVmarg). O delineamento utilizado foi em DBC com fatorial 3x5, solos e fontes de P e testemunha, respectivamente, em quatro blocos. Os tratamentos consistiram na aplicação de fontes minerais de P + testemunha (sem aplicação de P): Superfosfato triplo, Fosfato Natural de Gafsa, Fosfato Natural de Araxá e Termofosfato silicatado. O cultivo foi realizado em vasos de 3 dm3 de solo conduzindo quatro plantas por vaso por 35 dias, após a emergência das plântulas. Ao final, as plantas foram coletadas, separadas em raiz e parte aérea e determinados os teores de P. Em cada vaso foram determinadas as concentrações de P-disponível, extraído por Mehlich-1 e RTA. O P-disponível por Mehlich-1 apresentou baixa relação quanto aos teores de P nos solos onde foram aplicadas fontes de baixa solubilidade. Enquanto o determinado em RTA apresentou maior semelhança com o conteúdo de P nos tecidos vegetais. No cultivo em latossolo argiloso a aplicação Termofosfato apresentou maior eficiência agronômica em relação ao Superfosfato triplo.


Palavras-chave


determinação de fósforo; índice de eficiência agronômico; fontes de fósforo; solos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n1p38-46