EFEITOS RESIDUAIS DE N, P e K EM PODZÓLICO AMARELO COM SORGO FORRAGEIRO (Sorghum bicolor (L.) Moench), SOB CONDIÇÕES DE SEQUEIRO, EM ROTAÇÃO COM BATATEIRA (Solanum tuberosum L.)

JOSÉ PEREIRA LEITE, ODEMAR VICENTE DOS REIS, JOSÉ NILDO LUIZ, LUIZ RODRIGUES DE OLIVEIRA

Resumo


Objetivou-se conhecer os efeitos residuais dos macronutrientes N, P e K, aplicados em podzólico amarelo, cultivado inicialmente com batateira (Solanum tuberosum L.) e posteriormente, com sorgo forrageiro (Sorghum bicolor (L.) Moench), em condições de sequeiro, avaliando-se o acúmulo de matéria seca, altura da planta, índice de área foliar, relação de área foliar e da eficiência do uso de água. Os experimentos com sorgo foram instalados em 1998 e 2000. Foi usado o delineamento em blocos ao acaso, com arranjo fatorial 3x3x3, do grupo W de confundimento, com duas repetições. Os fertilizantes foram aplicados de 1995 até 1997, com exceção do fósforo, que somente foi aplicado em 1995. Em 1998, o efeito residual do nitrogênio acima de 100kg/ha reduziu a produção de matéria seca e o do fósforo aumentou. Entretanto, para a variável eficiência do uso de água, o nitrogênio foi menos eficiente do que o fósforo. Quanto ao fator potássio, só houve resposta significativa para a variável relação de área foliar. No ano de 2000, apenas o fator nitrogênio reduziu significativamente a variável relação de área foliar. Pelo exposto, fica evidente que se deve aproveitar o efeito residual dos fertilizantes em cultivos posteriores, o que implica economia para os agricultores.


Palavras-chave


efeito residual de N, P, K, nutrição mineral, sorgo forrageiro, podzólico, produtividade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v1n03p%25p