RESPOSTA ECONÔMICA NA TERMINAÇÃO DE NOVILHOS CONFINADOS COMSILAGENS DE MILHO (Zea mays L.), EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO, ASSOCIADAS A DOIS NÍVEIS DE CONCENTRADO NA DIETA

MARCOS ROGERIO OLIVEIRA, MIKAEL NEUMANN, MARCELO CRUZ MENDES, MARCOS VENTURA FARIA, JARDEL NERI

Resumo


Objetivou-se avaliar a lucratividade da terminação de bovinos Charolês x Nelore confinados, com dietas à base de silagem de milho (Zea mays L.), nos estádios de maturação com 25,6 e 32,6% de matéria seca (MS), associadas aos níveis de 40 e 70% de concentrado. O estádio de maturação do milho com 32,6% de MS proporcionou maior produção de matéria verde (MV) (62.234 contra 50.565 kg.ha-1), de MS (20.288 contra 12.944 kg.ha-1), de grãos (8.329 contra 3.100 kg.ha-1) e de nutrientes digestíveis totais (NDT) (14.070 contra 8.378 kg.ha-1). Por conseguinte, a silagem apresentou os menores custos de produção da MV (49,20 contra 59,03 R$.t-1 de MV), da MS (150,93 contra 230,61 R$.t-1 de MS) e do NDT (217,63 contra 356,29 R$.t-1 de NDT), frente à silagem com 25,6% de MS. A dieta que incluiu silagem com 32,6% de MS e nível de 40% de concentrado apresentou a melhor resposta econômica (231,30 R$.animal-1), sendo a mais adequada economicamente para a terminação de bovinos de corte em confinamento.


Palavras-chave


custo de alimentação, época de corte, qualidade da silagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n2p87-95