COMPORTAMENTO DE NOVILHOS CONFINADOS COM SILAGENS DE MILHO ORIUNDAS DE DIFERENTES ESTÁDIOS DE MATURAÇÃO E NÍVEIS DE CONCENTRADO NA DIETA

MARCOS ROGÉRIO OLIVEIRA, MIKAEL NEUMANN, MARCOS VENTURA FARIA, JARDEL NERI

Resumo


Avaliou-se o comportamento animal de novilhos confinados, alimentados com dietas que incluíram a silagem de milho nos estádios de maturação com 25,6 e 32,6% de matéria seca (MS), associados aos níveis de inclusão de 40 e 70% de concentrado, na base seca da dieta. Houve efeito significativo entre os níveis de concentrado de 40 e 70% na dieta, nas atividades de ruminação (8,16 contra 5,68 horas dia-1, respectivamente) e ócio (11,18 contra 15,14 horas dia-1, respectivamente). O uso da silagem de milho no estádio de maturação com 32,6% de MS influenciou nas atividades do comportamento dos animais nas frequências de consumo alimentar (15,7 contra 12,8) e ingestão de água (9,6 contra 7,2), frente à silagem com 25,6% de MS, enquanto, no estádio de maturação da silagem com 25,6% de MS, apresentou o maior teor de fibra fisicamente efetiva (FDNfe) em comparação a silagem com 32,6% de MS (5,7 contra 5,3%). Os níveis de concentrado nas dietas, influenciaram no comportamento animal nos tempos dispensados para ruminação, ócio, consumo alimentar, frequência de ingestão de água, distribuição de partículas e FDNfe.


Palavras-chave


época de corte, fibra fisicamente efetiva, ruminação, tamanho de partícula

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v10n1p56-65