DISCRIMINAÇÃO DE LINHAGENS DE MILHO QUANTO À UTILIZAÇÃO DE NITROGÊNIO, POR MEIO DA AVALIAÇÃO DE CARACTERISTICAS DO SISTEMA RADICULAR

MARCELO OLIVEIRA SOARES, IVANILDO EVÓDIO MARRIEL, LAURO JOSÉ MOREIRA GUIMARÃES, FERNANDO RODRIGO DE OLIVEIRA CANTÃO, MICHEL CASTELLANI DA ROCHA, GERALDO AFONSO DE CARVALHO JÚNIOR, GLAUCO VIEIRA MIRANDA

Resumo


O objetivo deste trabalho foi discriminar linhagens endogâmicas de milho por meio da avaliação de características radiculares fornecidas pela ánalise de imagens digitais, em doses contrastantes de nitrogênio no solo. Foram avaliadas seis linhagens endogâmicas de milho pertencentes à Embrapa Milho e Sorgo, em vasos de cinco litros contendo Latossolo Vermelho, textura média, em dois níveis diferenciados de adubacão nitrogenada (zero e 2 mmol/L), na forma de nitrato de amônio. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial, com três repetições. Foi realizada a avaliação de características de raiz e parte aérea das plantas colhidas aos 23 dias após a semeadura. Foram observadas interações significativas entre as linhagens e doses de nitrogênio para comprimento radicular, superfície radicular, comprimento de raízes muito finas, superfície de raízes muito finas e superfície de raízes grossas, volume de raízes muito finas, massa seca da parte aérea e massa seca total. A linhagem CMS 28-7.1 apresentou menor proporção do volume da raiz muito fina/volume radicular em relação às outras linhagens. Em baixa disponibilidade de nitrogênio, as características radiculares diferenciaram as linhagens de milho e o volume de raízes muito finas.


Palavras-chave


Zea mays, estresse de nitrogênio, morfologia de raiz, WinRhizo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v8n01p%25p