DESEMPENHO DE SEMENTES E PLANTAS DE MILHO HÍBRIDO ORIGINADAS DE LOTES DE SEMENTES COM ALTA E BAIXA QUALIDADE FISIOLÓGICA

MARCOS PAULO LUDWIG, LUIS OSMAR BRAGA SCHUCH, ORLANDO ANTONIO LUCCA FILHO, SUEMAR ALEXANDRE GONÇALVES AVELAR, FABIO MIELEZRSKI, SANDRO DE OLIVEIRA, RENATO LOPES CRIZEL

Resumo


A cultura do milho (Zea mays L.) tem grande importância no cenário agrícola, por ser matéria-prima de muitos produtos utilizados para a alimentação humana e animal. O objetivo do trabalho foi avaliar o desempenho de sementes e plantas de milho híbrido originadas de lotes com diferentes níveis de qualidade fisiológica. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada pela emergência em campo e pelo índice de velocidade de emergência. O desempenho inicial das plântulas resultantes foi determinado por meio de avaliações da área foliar planta-1, da massa seca da parte área planta-1, do número de folhas planta-1 e da estatura (aos 14, 28, 42 e 56 dias após a emergência). Posteriormente, foram calculadas a taxa de crescimento da cultura, taxa de crescimento relativo e taxa de assimilação líquida. Os valores mais elevados de emergência em campo, índice de velocidade de emergência, área foliar planta-1, massa seca da parte área planta-1, número de folhas planta-1, estatura, bem como a taxa de crescimento da cultura, foram alcançados quando se utilizaram sementes de melhor qualidade fisiológica. Na média, a área foliar planta-1 e a massa seca da parte área planta-1 foram, respectivamente, 25% e 22% maiores nas plantas originadas de sementes de melhor qualidade fisiológica.


Palavras-chave


Zea mays, sementes de qualidade, análise de crescimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v8n01p%25p