DURAÇÃO DO SUBPERÍODO SEMEADURA-FLORESCIMENTO, CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE MILHO EM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS CONTRASTANTES E PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE MILHO EM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS CONTRASTANTES

LINDOLFO STORCK, ALBERTO CARGNELUTTI FILHO, SIDINEI JOSÉ LOPES, MARCOS TOEBE, TATIANI REIS DA SILVEIRA

Resumo


O conhecimento do número de dias entre a semeadura e o florescimento do milho, medido pela soma térmica, é importante para o planejamento do cultivo. O objetivo deste trabalho foi verificar o comportamento de diferentes híbridos de milho, durante o período vegetativo, em duas condições climáticas contrastantes, quanto à demanda de soma térmica acumulada no subperíodo semeadura-florescimento, ao crescimento e à produtividade de grãos. Dezoito híbridos de milho foram avaliados, nos anos agrícolas 2007/2008 (ano normal) e 2008/2009 (ano sob deficiência hídrica), no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, RS. Foram avaliadas características referentes à demanda de dias e unidades calóricas para o florescimento masculino e o feminino, estatura de plantas e de espigas e produtividade de grãos nos dois ambientes. Em condição de deficiência hídrica, a soma térmica acumulada durante a semeadura até o florescimento masculino e o feminino foi aproximadamente 10% superior, em relação à condição climática normal,. As reduções de estatura de plantas e de espigas são superiores a 30% e as reduções de produtividade de grãos superam 80%. A condição de deficiência hídrica no período vegetativo da cultura de milho atua diretamente na maior demanda de soma térmica e na redução de produtividade de grãos.


Palavras-chave


Zea mays L., soma térmica, período vegetativo, déficit hídrico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v8n01p%25p