AVALIAÇÃO DA SILAGEM DO HÍBRIDO DE SORGO BR 601 COM ADITIVOS – ALTERAÇÕES NOS TEORES DE MATÉRIA SECA, FRAÇÕES FIBROSAS E DIGESTIBILIDADE “in vitro” DA MATÉRIA SECA

ARMANDA COSTA PEREIRA, LÚCIO CARLOS GONÇALVES, ANA LUIZA COSTA CRUZ BORGES, JOSÉ AVELINO SANTOS RODRIGUES, SILAS PRÍMOLA GOMES, IRAN BORGES, NORBERTO MARIO RODRIGUEZ, JAIRO JOSÉ COSTA FERREIRA, LUCAS PAIN DELGADO, MARIANA MAGALHÃES CAMPOS

Resumo


O objetivo deste ensaio foi estudar o efeito associativo do espaçamento entre linhas de plantio (30, 50 e 70 cm), densidade de plantas (300, 450 e 600 mil plantas/ha) e período de avaliação, durante o ciclo vegetativo da cultura (50, 85 e 125 dias após plantio), em manejo de cortes, sobre o desempenho vegetativo produtivo e qualitativo do sorgo forrageiro AG-2501C. O delineamento experimental foi o de blocos inteiramente casualizados, com quatro repetições, num esquema fatorial 3x3x3. Não houve interações significativas (P>0,05) entre espaçamento entre linhas e densidade populacional para produção de matéria seca, participação de colmos e folhas na estrutura da planta, teores de matéria seca e proteína bruta dos colmos e folhas do sorgo e fibra em detergente neutro e fibra em detergente ácido dos colmos do sorgo. O comportamento produtivo e qualitativo dos componentes colmos e folhas da planta do sorgo, em manejo de corte, não é coincidente ao longo do período de sua utilização. O melhor desempenho produtivo e qualitativo da planta de sorgo foi obtido no cultivo com espaçamento entre linhas de 70 cm. Existe variabilidade na relação folha/colmo, na produção de matéria seca e nos teores de fibra em detergente neutro e fibra em detergente ácido dos constituintes estruturais da planta, dentro do ciclo produtivo da cultura e do manejo cultural, envolvendo diferentes espaçamentos entre linhas de plantio.


Palavras-chave


carbonato de cálcio, forragem, inoculante bacteriano, Sorghum bicolor, uréia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v7n02p%25p