CRUZAMENTOS INTERVARIETAIS DE MILHO AVALIADOS EM ESQUEMA DIALÉLICO PARCIAL

ALTAIR TOLEDO MACHADO, LUCIANO LOURENÇO NASS, CLESO ANTONIO PATTO PACHECO

Resumo


Um total de 36 genótipos, sendo cinco variedades locais, cinco variedades melhoradas, seus respectivos híbridos intervarietais e uma variedade comercial utilizada como testemunha foram avaliados em esquema dialélico parcial, em dois ambientes. O objetivo do trabalho foi identificar cruzamentos com potencial produtivo e com características agronômicas favoráveis, como ciclo precoce e porte baixo de planta e de espiga. Foram avaliados cinco caracteres: florescimento masculino e feminino, altura da planta, altura da espiga e produção de grãos. Como não foi detectada diferença significativa em relação aos dois ambientes avaliados, a análise dialélica foi efetuada com a média dos ambientes. Considerando os dois grupos de variedades, as maiores estimativas da capacidade geral de combinação (CGC) foram obtidas para a variedade local Carioca (375,46) e para a variedade melhorada BR 106 (731,36). As melhores estimativas para a capacidade específica de combinação (CEC) foram obtidas com os híbridos intervarietais: Pedra Dourada x Sol da Manhã (1071,44), Carioca x BR 106 (789,94), Palha Roxa SC x BRS 4150 (786,84) e Palha Roxa ES x Eldorado (768,04). Os resultados mostram que as variedades melhoradas BR 106, BRS 4150 e Eldorado podem contribuir para o melhoramento das variedades locais, ampliando sua variabilidade genética, e para caracteres agronômicos, como porte da planta e produção de grãos.


Palavras-chave


variedades locais, híbridos intervarietais, dialelo parcial, Zea mays L.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v7n03p%25p