INFLUÊNCIA DA PALHADA DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA PLANTA DE MILHO E DAS PLANTAS DANINHAS

MARCO AURÉLIO NOCE, ITAMAR FERREIRA DE SOUZA, DÉCIO KARAM, ANDRÉ CABRAL FRANÇA, GABRIEL MASCARENHAS MACIEL

Resumo


Avaliou-se o efeito da palhada de gramíneas forrageiras (capim braquiarão, milheto e sorgo forrageiro) sobre o desenvolvimento da planta de milho e das plantas daninhas, em experimento realizado na Embrapa Milho e Sorgo, no período de março de 2006 a fevereiro de 2007. Os tratamentos foram constituídos pelas três plantas de cobertura, sofrendo ou não um corte após 60 dias de implantação das parcelas, mais um tratamento sem cobertura (pousio). A cobertura de capim braquiária interferiu negativamente no stand inicial, altura de plantas e de espigas. O diâmetro de colmo das plantas de milho na cobertura de milheto foi inferior. Não houve diferença significativa entre as coberturas e nem destas com relação ao pousio, para os demais parâmetros. Também não houve efeito significativo do corte sobre nenhuma das características agronômicas analisadas e nem para os dados de produção do milho. Nas três espécies de cobertura, os percentuais de redução na infestação de plantas daninhas em relação à testemunha sem palha (pousio) foram altos O efeito do corte não foi significativo na supressão de plantas daninhas. O capim braquiária foi superior no percentual de redução da infestação de plantas daninhas e na produção de palha, indicando provável correlação entre as duas variáveis.

 


Palavras-chave


cobertura morta, Brachiaria brizantha, Pennisetum glaucum, Sorghum bicolor x Sorghum sudanens, Zea mays L.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v7n03p%25p