ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM DIFERENTES CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO NORDESTE BRASILEIRO

HÉLIO WILSON LEMOS DE CARVALHO, MARIA DE LOURDES DA SILVA LEAL, MILTON JOSÉ CARDOSO, MANOEL XAVIER DOS SANTOS, JOSÉ NILDO TABOSA, DENIS MEDEIROS DOS SANTOS, MARCELO ABDON LIRA5

Resumo


Quarenta e um híbridos de milho foram submetidos a vinte e cinco diferentes condições ambientais do Nordeste brasileiro, no ano agrícola de 1999/2000, visando conhecer a adaptabilidade e a estabilidade de produção de grãos desses materiais, para fins de recomendação na região. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, com três repetições. A análise de variância conjunta mostrou diferenças marcantes entre os híbridos e a existência de diferenças genéticas entre os híbridos quanto às respostas às variações ambientais. A produtividade média apresentada pelos híbridos (6.971kg/ha) revela que a região mostra condições ambientais favoráveis ao desenvolvimento desses materiais genéticos, especialmente, nas áreas de cerrados do Oeste Baiano, Sul do Maranhão e Pólo Uruçuí-Gurgéia (no Piauí), onde as condições de clima, solo e topografia possibilitam o emprego de tecnologias modernas para a produção de grãos em sequeiro. A maioria dos híbridos mostrou alta estabilidade de produção nos ambientes considerados.


Palavras-chave


Zea mays, interação genótipo x ambiente, Nordeste brasileiro, produção de grãos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v1n02p%25p