AVALIAÇÃO DA SEVERIDADE DA CERCOSPORIOSE E RENDIMENTO DE GRÃOS EM HÍBRIDOS COMERCIAIS DE MILHO

ANDRÉ HUMBERTO DE BRITO, RENZO GARCIA VON PINHO, ALANO XAVIER DE SOUZA FILHO, TOMÁS FALQUETO ALTOÉ

Resumo


Com o objetivo de avaliar a severidade da cercosporiose e o rendimento de grãos de híbridos comerciais de milho, além de determinar a melhor época de avaliação da doença, foram conduzidos dois experimentos, em área experimental da Universidade Federal de Lavras, no ano agrícola de 2005/2006, em duas épocas de semeadura. No primeiro experimento, a semeadura foi feita no dia 11/11/2005 e, no segundo, no dia 23/12/2005. Utilizou-se o delineamento de blocos casualizados com três repetições, no qual foram avaliados 12 híbridos comerciais de milho. Foram realizadas oito avaliações da severidade da doença, a intervalos de sete dias, a partir dos 60 dias após a emergência (DAE), visualmente, por meio de escala de notas variando de 1 (altamente resistente) a 9 (altamente suscetível). Estimou-se a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) e obteve-se a produtividade de grãos por parcela, além das correlações entre a severidade da doença em cada época de avaliação e as estimativas da AACPD. Considerando os dados da AACPD, constatou-se que os híbridos mais resistentes a Cercospora zeae-maydis foram o P 30K75, P 30F87, AG 7000 e DKB 350 e os mais suscetíveis foram o AG 9020, DKB 214 e P 30F44. Os híbridos mais suscetíveis à cercosporiose não são necessariamente os que apresentam produtividades de grãos inferiores. A avaliação da severidade da doença através da escala de notas entre os 88 e 109 DAE é eficiente para discriminar o nível de resistência dos híbridos e fornece resultados semelhantes àqueles obtidos pela AACPD.


Palavras-chave


Zea mays, avaliação de doença, resistência genética.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v7n01p%25p