ACÚMULO E DISTRIBUIÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM DOIS HÍBRIDOS DUPLOS DE MILHO, EM FUNÇÃO DA DISPONIBILIDADE DE ÁGUA NO SOLO DUPLOS DE MILHO, EM FUNÇÃO DA DISPONIBILIDADE DE ÁGUA NO SOLO

VILMA MARQUES FERREIRA, PAULO CÉSAR MAGALHÃES, FREDERICO O. M. DURÃES, CARLOS ALBERTO VASCONCELLOS, JOÃO CORREIA DE ARAUJO NETO

Resumo


A quantidade de nutrientes presente nos tecidos vegetais de uma determinada espécie, em um dado momento, é função da interação das condições ambientais com o genótipo e é de importância ecológica e econômica, pois permite a otimização do uso dos insumos e de diferentes manejos importantes na sustentabilidade do sistema produtivo. Neste trabalho, foram quantificados os macronutrientes nos diferentes órgãos de plantas de dois híbridos duplos de milho (BRS 2121 e BR 205) cultivados em campo, submetidos a quatro épocas (dez dias antes ou 15, 30 e 50 dias após a floração) de supressão da irrigação e três tipos de parcelamento da adubação de cobertura de N e K (10kg de N/ha + 90kg de K2O/ha no plantio e 120kg de N/ha no estádio V8; 10kg de N/ha + 45kg de K2O/ha no plantio e 45kg/ha de K2O + 120kg de N/ha no estádio V8; 10kg de N/ha + 30kg de K2O/ha no plantio, 30kg/ha de K2O + 60kg de N/ha no estádio V8 e 30kg/ha de K2O + 60kg de N/ha no estádio V12), bem como em plantas jovens dos mesmos híbridos, cultivadas em casa-de-vegetação, sob quatro regimes hídricos: irrigação diária ou a cada três, cinco ou sete dias. Os resultados mostraram que, em campo, a resposta ao deficit hídrico variou de acordo com o nutriente e o órgão analisado. Em casa-de-vegetação houve tendência de concentração dos nutrientes nos tecidos em resposta ao déficit hídrico.


Palavras-chave


Zea mays, estresse hídrico, nutrição mineral.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v7n01p%25p