DISPONIBILIDADE DE ZINCO PARA O MILHO AFETADA PELA ADIÇÃO DE Zn E PELO pH DO SOLO

NÚBIA MICHELI ZAVAGLIA PEREIRA, PAULO ROBERTO ERNANI, LUIS SANGOI

Resumo


A disponibilidade de Zn tem sido pouco estudada nos solos do sul do Brasil, principalmente devido à constante falta de reposta das culturas à adição desse nutriente. Como o pH afeta o Zn no solo, esse trabalho objetivou avaliar o efeito da calagem e da adição de Zn na disponibilidade desse nutriente para o milho, em dois solos catarinenses, em casa-de-vegetação. Os tratamentos consistiram da combinação fatorial de quatro valores de pH (natural, 5,5, 6,0 e 6,5) com quatro doses de Zn (0, 10, 40 e 80mg/dm3). Realizaram-se quatro cultivos, com duração de trinta dias cada, sem reaplicação dos tratamentos entre eles. A adição de Zn não influenciou o rendimento de massa seca em nenhum cultivo, independente do pH e do tipo de solo. O Zn extraído pelas soluções de HCl 0,1mol/L ou de Mehlich-3 aumentou linearmente com o aumento da quantidade de Zn adicionada, e sempre foi maior na ausência do que na presença de calcário. A concentração e a quantidade de Zn absorvido correlacionaram-se positivamente com a adição do nutriente e sempre foram maiores nos tratamentos sem calcário. O pH precisa ser considerado por ocasião da interpretação dos valores de Zn do solo.


Palavras-chave


Zea mays, disponibilidade de zinco, calagem, métodos analíticos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v6n03p%25p