ÁREA FOLIAR E RENDIMENTO DE GRÃOS DE HÍBRIDOS DE MILHO EM DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTAS

LUÍS SANGOI, AMAURI SCHMITT, CLAITSON GUSTAVO ZANIN

Resumo


A senescência foliar lenta na fase reprodutiva é uma característica fisiológica positiva à tolerância de híbridos de milho ao adensamento. Este trabalho foi conduzido objetivando avaliar o efeito do aumento na população de plantas sobre a área foliar e o rendimento de grãos de híbridos de milho. O trabalho foi conduzido no município de Lages, Santa Catarina, utilizando o delineamento experimental de blocos ao acaso, dispostos em parcelas subdivididas. Na parcela principal, foram avaliados os híbridos Ag 303 e Speed. Nas subparcelas, foram avaliadas cinco populações de planta: 25.000, 50.000, 75.000, 100.000 e 125.000pl/ha. Efetuaram-se cinco avaliações de área foliar, realizadas no espigamento e aos 14, 28, 42 e 56 dias após a primeira avaliação. O rendimento de grãos do híbrido Speed foi maior e mais responsivo ao aumento na população de plantas do que o do Ag 303. O incremento na população reduziu a área foliar dos dois híbridos, em todas as épocas de amostragem. A área foliar do Speed foi maior do que a do Ag 303 durante o período de enchimento de grãos. O híbrido mais tolerante ao adensamento preservou maior área foliar verde após o espigamento.


Palavras-chave


Zea mays, senescência, densidade de plantas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v6n03p%25p