CONSERVAÇÃO E DETERMINAÇÃO DA VIABILIDADE DE GRÃO DE PÓLEN DE MILHO

CLARISSA ALVES FERREIRA, ÉDILA VILELA DE REZENDE VON PINHO, PATRÍCIA DE OLIVEIRA ALVIM, VINÍCIUS DE ANDRADE, TANISMARE TATIANA DE ALMEIDA SILVA, DEISY LÚCIA CARDOSO

Resumo


Em programas de melhoramento de milho, fatores relacionados à duração do tempo de receptividade do estigma, longevidade do grão de pólen na planta, diferenças no período de florescimento entre plantas e conservação dos recursos genéticos são alguns aspectos que reforçam a importância do armazenamento de grãos de pólen. Na presente pesquisa, foi avaliada a influência do teor de água, do tempo e dos ambientes de armazenamento sobre a viabilidade e a germinação de grãos de pólen de milho. Os ensaios foram realizados nos Laboratórios de Análise de Sementes e de Biologia Molecular do setor de sementes e na área experimental do Departamento de Agricultura da UFLA. Nos pré-testes, foram verificados diferentes meios de cultura para avaliação da germinação in vitro, assim como o melhor horário de coleta dos grãos de pólen. Foi avaliada, ainda, a germinação dos grãos de pólen sob diferentes teores de água: 51,7%, 29,4%, 21,7%, 17,7% e 17,6%. Em um segundo experimento, os grãos de pólen, com teores de água de 51,7%, 29,4% e 21,7% foram armazenados em deep freezer (-86ºC), geladeira (4ºC) e em nitrogênio líquido (-193ºC) por quatorze e trinta dias. Após o armazenamento, a germinação e a viabilidade dos grãos de pólen foram avaliadas in vitro, em meio de cultura, e por meio do teste de tetrazólio, respectivamente. A viabilidade dos grãos de pólen armazenados, por 14 dias, com diferentes teores de água e ambientes de armazenamento, também foi testada in vivo, por meio de autofecundações, em plantas da linhagem Le-57 e do híbrido GNZ 2004, quando ambos apresentavam estilos-estigmas receptivos. Para a avaliação da germinação e da viabilidade dos grãos de pólen, foi seguido o delineamento inteiramente ao acaso, em esquema fatorial 2 (tempo de armazenamento) x 3 (teor de água de grãos de pólen) x 3 (ambientes de armazenamento), com quatro repetições. Nos pré-testes, maiores valores de germinação dos grãos de pólen foram observados em meio de cultura contendo 10% de sacarose, 0,03% de ácido bórico e 0,15% de cloreto de cálcio (M2) e quando a coleta foi realizada às 9 horas. A viabilidade dos grãos de pólen foi reduzida substancialmente abaixo de 21,7% de teor de água, indicando que os mesmos não toleram a dessecação. Para melhor conservação, durante o armazenamento, os grãos de pólen deverão ser secados até 21,7% de teor de água e armazenados em nitrogênio líquido.


Palavras-chave


Zea mays, armazenamento, germinação, tubo polínico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v6n02p%25p